Coisas que aprendi com Olavo de Carvalho (parte 1)

Há 2 anos o escritor Olavo de Carvalho nos deixou. Reconhecido por sua combinação única de conhecimento profundo, habilidade comunicativa e capacidade de antecipar eventos com uma década de antecedência. Apesar de não ter sido sua aluna, mantenho-me engajada em sua obra, lendo artigos e assistindo a vídeos semanalmente.

Em memória, destaco alguns ensinamentos de Olavo que influenciaram significativamente minha vida. Embora minha seleção esteja predominantemente ligada à política, é crucial ressaltar que a vastidão de sua obra transcende temas políticos.


1 – É preciso apontar os erros sem medo de ser criticada

Durante minha época universitária, ouvi de professores a importância do pensamento crítico. Nos últimos anos, ao observar complicações pós-vacinação de pessoas próximas, comecei a comentar sobre a obrigatoriedade da imunização. Após buscar respaldado de médicos premiados, enviei um ofício ao Ministério da Saúde solicitando a suspensão da vacinação infantil. Contudo, enfrentei críticas intensas. Quem sou eu para contestar a ciência ?
Evocando as palavras de Olavo de Carvalho em 2011, o tal do pensamento crítico só pode ser direcionado a grupos marginalizados pela esquerda, como líderes religiosos e a instituição familiar.

2 – A fonte de autoridade da esquerda muda conforme suas necessidades imediatas

Aos 74 anos, Olavo esteve no Brasil em 2021 para tratamento médico no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Na ocasião, figuras como Felipe Neto debocharam do escritor, alegando que ele criticava a USP. Apesar de suas críticas às universidades brasileiras, Olavo sempre reconheceu a qualidade dos médicos nossos médicos, destacando a excelência da medicina no Brasil em relação aos Estados Unidos.

Postagem de Felipe Neto

Nos últimos dias, a esquerda manifestou forte oposição ao Conselho Federal de Medicina (CFM) devido a uma pesquisa sobre a obrigatoriedade da vacina em crianças. Utilizando o Ministério da Saúde como fonte de autoridade, a esquerda contestou as ações do CFM.

Mas veja que curioso: Em 2011, o mesmo Ministério da Saúde implementou um projeto para validar diplomas de médicos estrangeiros. Olavo de Carvalho na época destacou que, dos 626 profissionais, apenas 2 obtiveram autorização para clinicar. Na época, PT, PC do B e até o MST contestaram os resultados do Ministério da Saúde, pressionando o governo Lula a reconhecer os médicos cubanos sem exigir exames de habilitação profissional. Olavo ressaltou que, quando a esquerda deseja, até o MST é considerado fonte de autoridade científica. E ele tem razão.

3 – A esquerda no Brasil é valente graças ao financiamento estrangeiro

No decorrer dos últimos anos, o movimento de esquerda Sleeping Giants Brasil obteve sucesso na retirada de numerosas publicações e anúncios veiculados por diversos meios de comunicação de direita. A iniciativa angariou amplo respaldo midiático, culminando na retirada de mais de 100 anunciantes exclusivamente da Jovem Pan, assim como de sites de menor porte.

Recentemente, veio à luz que a Ford Foundation destinou aproximadamente R$ 493 mil, em câmbio atual, para o Sleeping Giants. Paralelamente, a Open Society Foundation, de George Soros, efetuou significativa doação em 2022, contribuindo com US$ 400 mil (aproximadamente R$ 2 milhões).

Há 19 anos, Olavo de Carvalho destacou a “coragem” da esquerda em confrontar a direita graças ao financiamento das fundações Rockefeller e George Soros. No vídeo de 2005, ele mencionou também o caso Waldomiro Diniz, o qual representou o primeiro grande escândalo de corrupção no governo Lula. Na ocasião, ficou evidenciado que Waldomiro solicitava propinas para financiar campanhas políticas de candidatos do PT. Olavo foi cético quanto às consequências legais desse episódio.

4 – Capitalismo de Estado não é capitalismo

A JBS, como divulgado pela Forbes em junho do ano passado, está em fase de construção da maior fábrica do mundo de carne artificial. A empresa, que consolidou sua posição como monopólio no Brasil, teve sua trajetória associada a conexões promíscuas com o governo do PT, envolvendo o BNDES.

Alguns “especialistas” defendem o consumo de carne sintética como uma possível solução para a fome, tanto no Brasil quanto globalmente. No entanto, Olavo de Carvalho argumentou há mais de uma década que não são os avanços técnicos, mas sim o fim das ditaduras comunistas e fascistas que poderiam efetivamente erradicar a fome.

Apesar de críticas que sugerem a idolatria de Olavo de Carvalho pelos Estados Unidos, o depoimento no vídeo contradiz essa afirmação. Em 2011, ele alertou sobre os riscos que os EUA corriam ao seguir modelos fascistas de regulamentação, desmentindo qualquer adoração incondicional.

Em 2020, a BBC informou sobre os “piores índices de pobreza do mundo desenvolvido” nos EUA, corroborando os alertas anteriores de Olavo tem razão.

5 – No Brasil, atividades culturais foram substituídas por propaganda política

Nosso gabinete está compilando informações para a CPI da Mynd e recentemente descobriu que a Petrobrás está financiando o espaço “cultural” Universo Spanta, no Rio de Janeiro. Apesar dos vultosos recursos destinados pela estatal, os ingressos para o local atingem valores de até R$600,00.

Chama a atenção também que aproximadamente 90% dos artistas presentes na agenda cultural do espaço são agenciados pela Mynd e participaram ativamente na campanha para o Lula em 2022, incluindo nomes como Luísa Sonza e Pablo Vittar, que utilizaram toalhas de banho com a imagem de Lula em seus shows.

O professor Olavo alertou em 2011 para a substituição das atividades culturais no Brasil por propagandas esquerdistas e cabos eleitorais. É crucial reconhecer, em alguns casos, que tal alerta pode ter chegado tarde demais.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

CADASTRE-SE!

ESTAMOS SENDO PERSEGUIDOS

E COM SEU CADASTRO PODEMOS ENTRAR EM CONTATO SE ALGO ACONTECER COM NOSSAS REDES